6 de abr de 2011

A ré foi considerada des "culpada"


Se me mandarem escolher uma melhor amiga, aquela que está sempre comigo a qualquer momento, que me aconselha, que faz a diferença na minha vida, sem duvida e sem precisar pensar eu respondo: é a culpa.
Sabe aquela história de que a culpa é sua e você coloca em quem quiser?
Então, minha família achou muito simpático colocar toda a culpa de todas as desgraças da vida em mim.
Fui culpada por ter nascido sem ser planejada e dai por diante por tudo mais que puderem imaginar, desde a infedilidade do meu pai, pulando a cerca literalmente até a doença da minha mãe, passando pela culpa do meu irmão sair roubando carros pela vizinhança, afinal um rapaz de classe média que aparentemente tem tudo, só pode isso, por algum trauma causado pela irmã mais velha, que não deveria ouvir tanto rock dentro de casa, essas musicas desvirtuam qualquer um.
Medo de imaginar o que pode acontecer agora que ouço tanto matanza.http://www.matanza.com.br/
É claro que de todas acusações eu fui julgada culpada, fui punida com criticas de todas as espécies e abandonada pela família, infelizmente pra tristeza de todos, ele não podia me botar na rua.
Foram criados enredos tão perfeitos que até eu era capaz de admitir minha culpa e me sentia realmente mal por tudo.
Por dois bimestres não fui a melhor aluna da sala; Nunca gostei de lavar a louça, gostava mesmo de assistir sessão da tarde fazendo o dever de casa, e menina que faz isso vai crescer e e prostituir, filmes só ensinam coisa errada, seu marido vai te abandonar e te trocar por uma boa dona de casa.
Alias, pra que estudar mesmo?
Vai crescer, se juntar com um bandido, não vai prestar pra nada nunca, só vive lendo e com o rádio ligado. Nem vou postar o resto do comentário para que aquele que se diz meu pai não seja preso por
racismo, mas deveria.
Hoje eu me culpo por aos 16 anos quando fui obrigada a escolher entre o casamento e a rua, não ter escolhido a rua, minha história poderia ter sido como a da Bruna surfistinha, e teria sido com orgulho, não me sinto menos puta que ela após 16 anos de casamento pra terminar o segundo grau técnico, pra tentar sobreviver e dar um lar para os meus filhos.
E por falar em casamento se eu tivesse apanhado quieta, cada vez que queria voltar a estudar ou começar a trabalhar, não estaria hoje apanhando do meu pai, porque ele acredita que pode me botar na rua pra conseguir mais dinheiro, e tudo pensando no confortos dos meus filhos, que ele tirou do quarto deles pra dormir na sala e acredita que 2 camas vão fazê-los mais felizes que um bicama.
Se eu estivesse casada poderia sair pra trabalhar e deixar os meninos com a avó como toda mãe que trabalha fora faz, poderia até quem sabe fazer o cursibnho a noite e tentar uma faculdade, mas não, eu cansei de apanhar, tenho que abandonar o cursinho e me sujeitar as exigencias de ex marido e pai machistas.
Tá me falatando alguma coisa?
Pra que querer mais do que o que comer?
Hoje eu saio pra trabalhar e apanho do meu pai porque os meninos estão ababndonados e tem louça suja na pia, se eu fico em casa também apanho porque sou vagabunda e tenho que ter consiencia que tenho 3 filhos pra criar, dinheiro não cai do ceu e a porra da casa é dele. Eu deveria ter vergonha na cara e sumir da vida de todos.
Ouço sempre que meus filhos me odeiam, que não posso nem pensar em namorar, que não tenho onde cair morta, que sou a vergonha da família.
E quer saber?
Vou mesmo mudar minha vida,  vou fazer o que eles querem, não deve mesmo estar certo o que eu faço, tanta gente reclamando e me batendo.
Eles querem guerra, terão guerra, um já saiu com o nariz quebrado, o outro se levantar a mão pra mim, ou se me ofender outra vez, esqueçio que tenho pai e enfio lhe a mão na cara também, e quando terminar vou direto pra delegacia.
Mudei de casa, apertei 5 comodos em 3, pra ele ter mais dinheiro, que ele alega ser pelo conforto dos meninos, eu não sei se choro ou se dou risada, até os meninos não entendem.
Devolvi o vale coxinha dele, porque por 250,00 uma puta que se preze trabalha um dia e não cria vinculos, se ele acredita que me sustentava com isso, e esse valor lhe dava o direito de me bater e definir minha vida, pronto, ele não me dá mais nada.
Vou trocar as fechaduras da casa e proíbi-lo de entrar nos meus 3 comodos, são meus segundo o inventário, preciso de privacidade e não quero mais ele por perto enlouquecendo meus filhos como fez comigo. Vou determinar onde é ou não confortável pra os meninos dormirem, bem como o cardápio do dia. Não adianta chegar com um monte de besteiras em casa, que os meninos só vão comer na hora certa. Bem como eu decidio quem mora comigo.
Vou deixar louças na pia e só lavar no outro dia, vou delegar funções para os meninos, e olhar os cadernos a noite, porque eu sou uma mãe que trabalha e com muita sorte e organização estuda e namora, quem julgar errado pode conviver com a culpa de ter me criado errado ou pode procurar um bom advogado.
Afinal a culpa é minha e eu boto em quem eu quiser.
E quer saber mais FODA SE !!!

9 comentários:

  1. Sandroca, deus meu, o que fizeram com vc?!?! Olha, vc, prá mim, sempre foi e sempre será um vencedora, uma fortaleza que de vez em vez perde um tijolinho, mas que nao cai!! Isso mesmo, faça valer o que vc mais tem de direito nessa vida, o livre arbítrio!! Beijos culpa free!!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post, de vez em qdo precisamos de um desabafo, rs... beijinhos, Nane www.vovoqueensinou.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Sandra,
    Li tudo atentamente, e a cada vez eu lia, mais queria saber o final da sua tão dificil vida.
    Eu me senti mal, porque muitas vezes, reclamo por pouco...mas perto de você,sou privilegiada.
    Mas depois de tudo que eu li, acho vc uma pessoa muito forte, porque se levou tantas rasteiras da vida, e hoje está aí, firme, forte, correndo atras dos seus sonhos, cuidando dos filhos...quando poderia estar deitada numa cama chorando e lamentando por tudo.
    Força amiga....
    e a unica culpa que vc tem, é de tentar ser feliz.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Jesus mulher!!!!!! Pode ficar com a culpa tá , mais saiba que ela não é só sua não!!!!!! Vim te ver e achei um terremoto, quanta culpa ,mas vc esqueceu de uma, vc é culpada de ter um monte de meninas e meninos te seguindo pela blogsfera atraz de suas receitas e de seus desabafos.
    Olha se explodir te faz bem exploda minha amiga, mas não desista tá. Amanhã vou fazer cupcakes pro batizado do meu afilhado Heitor, vou tentar ficar a altura de minha amiga certo. Enquanto isso acalme-se e fique com meu abraço bem apertado.

    ResponderExcluir
  5. Tenho minhas razões pra me identificar muitop com você e sua história. Amei! To seguindo!

    ResponderExcluir
  6. Nossa.... qt informação...
    mas vc é uma guerreira!! =D
    nunca se esqueça disso!!


    www.makeupdebombom.blogspot.com

    bjinhos....

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sandra!
    Força amiga a situação vai melhorar.
    Sandra, querida estou chegando em Sampa e logo (pode levar uns meses) vou querer tomar um café... rsrsrsrs. Ah pode ser num bar para não ter confusão.
    Beijos,
    Re

    ResponderExcluir
  8. Que historia, fiquei sem fala, quer dizer, sem muito o que escrever, boa sorte para todos seus problemas, seja forte,
    bjs
    Paula

    ResponderExcluir
  9. tenho 7 anos e me identifico demais com o que vc escreveu...continue escrevendo vai ajudar muita gente,inclusive eu

    ResponderExcluir

Você também sabe disso???

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails